segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Teotihuacan : City of Gods


Decidido pela enquete no nosso perfil do Instagram, a resenha de hoje é do badalado Teotihuacan - City of Gods, um dos grandes destaques em Essen que põe os jogadores como nobres famílias que querem atingir glória eterna enquanto constroem o grande monumento que dá nome ao jogo.

No tabuleiro central temos a área onde a grande pirâmide será erguida, ladeada por cinco trilhas (três de adoração, a Avenida dos Mortos e a trilha do construtor), e cercada por 8 espaços que são onde os os jogadores conseguirão realizar suas ações, pegar recursos, construir coisas, etc.

No início do jogo, cada jogador terá um setup diferente, mas basicamente começamos com três dados (que são nossos trabalhadores) em espaços do tabuleiro, e apesar dos pormenores de regras, o turno é extremamente simples.

 Nos espaços de ação, você realiza o que está sendo
indicado, e paga cacau, ou não faz nada e recebe cacau.

Você escolhe um dos seus dados, anda de uma a três casas no sentido horário, e ao parar em um espaço de ação você tem três opções, na primeira você pode abdicar de fazer a ação do local para coletar cacau, que é a "moeda" corrente do jogo e é super importante, você paga cacau para realizar a ação ou você trava um dos seus dados para fazer uma adoração e avançar nas trilhas de adoração.

Uma parada interessante, é que o custo e o recebimento de cacau variam conforme a quantidade de dados diferentes na ação em que você parou, podendo deixar a ação mais cara, mas em contrapartida, você pode receber mais cacau caso não queira realizar a ação.

A grande sacada em usar dados ao invés de meeples, é que dependendo da face que o dado atual tem, você pode fazer ações melhores e se você tiver mais dados da sua cor (colocados anteriormente), também tem modificadores.

 As trilhas de adoração, vão te dando uns bônus e tiles
conforme você vai avançando nelas.

E as ações são variadas, temos três espaços onde podemos conseguir os recursos do jogo (ouro, madeira e pedra), um para tecnologias que vão te dar melhorias durante o jogo, o espaço inicial que tem sempre uma ação diferente a cada partida, e três espaços de construção.

As construções são três possibilidades diferentes, podemos construir partes da pirâmide, podemos dar ornamentos a ela ou podemos construir casas para os nobres.

A pirâmide é com certeza um "algo à mais" do jogo, ela começa já com algumas peças construídas, e você pode, ao construir, colocar a peça que vem com quatro ilustrações nela, casando com a base onde ela será construída, isso vai te render uns pontinhos de vitória adicionais, e se você conseguir casar uma das ilustrações coloridas, ainda sobre em uma das três trilhas de adoração do jogo além de avançar na trilha dos construtores.

 O tabuleiro é lindo, e tudo é interligado, uma ação sempre
vai acarretar em alguma ligação com outra coisa.

A quarta trilha é a da Avenida dos Mortos, essa você sobe de duas formas, ao construir as casas para os nobres e ao elevar um dos seus dados.

Na maioria das vezes que você fizer ações, você vai poder avançar a face do dado que realizou ela (ou de outro, desde que esteja no mesmo espaço), e quando esse dado passa da face 5 para a face 6 ele "morre" e volta como 1 para o espaço inicial, mas te garante uma andada na Avenida dos Mortos, que é uma trilha super importante.

O jogo vai avançando turno a turno, sempre ao final do turno do último jogador e toda vez que algum dado se eleva, um marcador avança em direção ao eclipse, que será realizado quando esses dois marcadores se encontrarem e vai disparar uma pontuação baseada na trilha da Avenida dos Mortos e pelo multiplicador das casas dos nobres, além de pontuar o construtor mais avançado, pontos por um set-collection de máscaras que você pega durante os turnos e finalmente rola um pagamento dos seus trabalhadores (em cacau) e a partida termina efetivamente após a pontuação do terceiro eclipse, e ganha o jogador com mais pontos.

 Conforme o templo vai subindo, vai ficando mais lindo.

Teotihuacan é um jogo super cheio de detalhes, alguns com certeza eu esqueci de mencionar e que você tem que ficar se policiando para não esquecer durante a partida, mas é impressionante como depois do primeiro turno o jogo flui.

Ele é daqueles euros cheio de possibilidades, mas apertado, você tá sempre precisando de cacau ou de chegar com mais de um dado, ou torcendo pro coleguinha não fazer determinada ação antes de você, e o mundinho dele também é muito bem explorado com o lance da elevação espiritual dos dados, e deles ficarem presos para adorar aos deuses, fora a pirâmide que é lindinha e super bem encaixada às mecânicas do jogo, sendo inclusive uma segunda forma de terminar o jogo (caso ela seja finalizada completamente antes do terceiro eclipse).

Criado pelo italiano, Daniele Tascini, mesmo autor dos grandes Tzol'kin e As Viagens de Marco Polo, e chegando ao Brasil em breve pelo pessoal da Bucaneiros Jogos, Teotihuacan é um jogo que todo fã de euro precisa conhecer e com certeza não é só mais um hype vazio, tem bastante conteúdo nesse jogaço.

Nenhum comentário: