quarta-feira, 2 de junho de 2021

Linha Premium de Jogos ESTRELA


Fundada em 1937, a Brinquedos Estrela é uma das editoras mais antigas de jogos e brinquedos em atividade no Brasil, sendo responsável por comercializar alguns dos maiores clássicos em jogos de tabuleiro como Detetive e Banco Imobiliário ela agora tenta entrar no mundo dos jogos modernos com a sua linha Premium.

Eu recebi os três primeiros jogos dessa linha, o Herdeiros do Khan (Lucas Ribeiro/Rodrigo Rego), ToteMonstros (Daniel Martins/Leandro Pinto) e o Navio Pirata (Beto Feres) e resolvi falar um pouco primeiro dessa iniciativa da marca e também do que esperar do material que cada caixa dessa nos apresenta e em breve falarei de cada jogo individualmente.

O Navio Pirata tem quase 200 cartas para serem
destacadas e um tabuleiro de papel cartão.

A primeira coisa que devemos ressaltar na iniciativa da Estrela é que esse jogos não estão sendo feitos para os colecionadores, é isso. A linha de jogos segue o padrão de qualidade que sempre foi característico da Estrela, que são componentes bem simples que vão desde a caixa em cartão corrugado, passando pelas cartas em que nós precisamos destacar e o manual em uma cor só.

O que inicialmente pode ser um balde de água fria para quem esperava que o "Premium" do título fosse passado para os componentes, principalmente para quem conhecia os jogos que já rodaram edições passadas do Diversão Offline sempre com bastante gente interessada.

O ToteMonstros tem bons dadinhos para serem
adesivados e hexágonos para o tabuleiro modular.

Mas a Estrela aqui tenta trazer para o mercado de massa aqui no Brasil (que se importa mais com o preço do que com a qualidade) os jogos com mecânicas mais elaboradas para vender em lojas de departamentos e produzido em quantidades que seriam impossíveis na qualidade que estamos acostumados a ver nos jogos europeus ou até mesmo as iniciativas de editoras nacionais.

Para vocês terem uma ideia do que estou falando, cada um desses três títulos terá uma tiragem inicial de 10 mil cópias, comparando com outros jogos a tiragem total do Die die DIE foi de 1200 cópias (via Catarse) ou alguns jogos que não chegam a 500 unidades no seu lançamento.

O público que a Estrela pretende atingir aqui é alguém que entra numa loja para comprar um presente, se depara com WAR e Banco Imobiliário e pensa em uma opção diferente, vendo capas como a do Khan e do ToteMonstros opta por um jogo diferente e leva pra casa uma nova experiência em jogos de tabuleiro.

O Herdeiros do Khan tem muitos componentes,
destaque para o tabuleiro muito bom.

Pensando como divulgador do hobby acho louvável essa empreitada de uma das mais conceituadas empresas de brinquedos do país, ainda mais por vermos que a sua maior rival já não está mais trazendo nada de novo em matéria de jogos modernos.

Como colecionador, fico triste de ter um jogo de pessoas queridas como o Daniel e o Rodrigo terem chegando ao mercado com uma qualidade aquém do que o jogo merece, mas sei que eles estão super felizes de verem seu "filhote" sendo comercializado, isso para o autor é realmente algo sem tamanho e merece todo o crédito.

Então a conclusão que eu chego é que a Estrela pode sim ter sucesso nessa empreitada, muito pelo nome e pela qualidade dos jogos apresentados, mas que ela poderia ter caprichado muito mais no resultado final apresentado.

É meio desanimador ter que destacar
quase 200 cartas (com muito cuidado).
 

9 comentários:

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anynha disse...

Texto simples e direto! É exatamente isso que penso dos jogos da estrela, são para família e pessoas que jogam os clássicos numa noite de jogos clássica! Principalmente para quem tem pequenos que adoram mexer nas peças, sao jogos baratos e substituíveis com o tempo. Eu possuo o banco imobiliário do bob esponja ha mais de 10 anos da estrela e está intacto, vai de quem cuida bem do jogo hehe

Canal do Tio Di disse...

Ótimo texto Cacá ♥️

Unknown disse...

Excelente analise sobre qualidade e oferta, simples e direta ao ponto. Muito obrigado!

Jaime F. disse...

Análise bacana, Cacá... Legal se puder detalhar cada jogo depois... :)

Carlos "Cacá" disse...

Grande Jaime... A ideia era essa, falar da qualidade e depois falar dos jogos pra não comprometer a resenha pois o Khan e o ToteMonstros são jogos bem legais apesar dos componentes (esquece o Navio Pirata)... :D

luish disse...

Comprei o meu, simulei uma partida para aprender e joguei uma partida em dois jogadores que fluiu muito bem. Gostei bastante da dinâmica. Quero jogar com as outras cores para ver as diferenças entre personagens. As cartas destacáveis podem ser fininhas, mas a gente não as manipula nunca, elas ficam na mesa, então, a qualidade não me incomodou em nada. As fichas de jogo sim, são muito finas também, ficham menos perceptíveis no tabuleiro, já vou substituir por cubinhos coloridos!

luish disse...

comprei o Khan, faltou dizer.

Unknown disse...

Não tem como caprichar nos componentes e oferecer um preço desses no mercado atual. Se o jogo é bom, é bom independente de qualquer coisa... Acho que os hobbystas estão preocupados demais em comprar algo bonito do que jogar um jogo excelente.