quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Ludoteca Básica : Samurai


Lançado a 20 anos atrás, Samurai é uma dos jogos mais brilhantes do grande Reiner Knizia, o jogo é ambientado no Japão feudal e tem como objetivo fazer com que os jogadores tenham o controle sobre três aspectos importantes dentro do Império : a religião, as armas e o comércio.

Durante a preparação do jogo, são colocadas figuras desses três elementos citados no mapa que representa o Japão, e os jogadores vão receber um conjunto de 20 tiles para tentar a dominância sobre essas peças.

Na sua rodada, o jogador pega um dos seus tiles, e coloca em um espaço vazio do tabuleiro, esses tiles tem valores de força em cada um dos três elementos e também existem tiles coringa (de samurais, ronins e navios) que vão ajudar a obter as peças disputadas.

 A clássica versão da Rio Grande Games.

Uma vez que uma peça é cercada pelos tiles dos jogadores, fazemos uma avaliação de força para ver quem vai pegar aquela peça para si.

Essa avaliação conta os tiles específicos (religião, armas e comércio) somados a presença de algum tile coringa do mesmo jogador, caso o somatório seja maior do que dos outros envolvidos, o jogador vencedor pega a peça e coloca atrás do seu biombo para pontuar no final, mas caso haja empate, aquela peça é perdida.

O jogo prossegue dessa forma até que um dos três tipos de peça acabe no tabuleiro, ou se quatro peças quaisquer sejam perdidas por efeito de empate nas disputas, aí vamos definir o vencedor.

A Fantasy Flight caprichou nas miniaturas,
sem perder o visual clássico.

Nesse jogo, até a definição de quem vence é bacana, cada jogador vai ver quem tem a maior quantidade de determinado tipo de peças, se um jogador tiver a dominância em pelo menos dois tipos diferentes, ele é o vencedor automático, caso existam cada aspecto tenha sido vencido por um jogador diferente, o desempate é feito pela quantidade de peças dos tipos onde eles não ganharam, ainda havendo empate somam-se todas as peças para definir quem ganha.

Samurai (junto com o Arte Moderna, também do Knizia) um dos primeiros jogos modernos a serem lançados no Brasil, ele chegou aqui em 2007 pela extinta Ceilikan Jogos, e apesar de ter uma caixa diferentona e tals, a produção era bastante amadora ainda, e os componentes de baixa qualidade.

A versão lançada no Brasil, deixou muito a desejar em
qualidade, mas eram tempos bem mais difíceis do que hoje.

Anos mais tarde, em 2016, a Fantasy Flight, o relançou dentro da linha Euro Classics, com miniaturas bonitonas, mas ainda mantendo muito do visual do original de 98 da Rio Grande Games, que para mim, ainda é a versão mais bonita com suas peças pretas brilhantes.

Samurai é uma obra-prima de design, um jogo com regras super enxutas, uma jogabilidade simples e uma profundidade estratégica digna dos grandes clássicos do autor, e definitivamente é um daqueles jogos que você precisa jogar e se possível ter na sua prateleira.

Os tiles, peças fundamentais para o jogo.

Nenhum comentário: