quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Reciclando Ideias de Jogos


Passando o olho pelas notícias sobre jogos pelo mundo, me deparo com o anúncio do jogo A'Writhe: A Game of Eldritch Contortions, da Wizkids, que nada mais é do que o Twister (de 1966) com uma roupagem "lovecraftiana" e fiquei pensando em quantos jogos bebem de antigas referências e resolvi escrever um pouco sobre o assunto.

Desde sempre os jogos de tabuleiro estão presentes na vida da sociedade, jogos como Jogo Real de UR e Senet estão aí a mais de 2000 anos então de lá para cá muita coisa foi inventada, e chega uma hora que as inovações parecem não mais acontecer e é necessário dar uma reciclada em mecânicas dando uma modernizada nelas para que o mercado as absorva.

 A mancala do Trajan, um ótimo exemplo
de reaproveitamento de uma ideia antiga. Foto BGG.

Se pararmos para analisar, alguns grandes jogos modernos, se utilizam de mecânicas super antigas. Cito aqui o Trajan, do Stefan Feld, cuja mecânica principal foi tirada da Mancala (700 d.C.) e o Karuba, do Rüdiger Dorn, que pega do tradicional Bingo (1530) e transforma num jogo infinitamente melhor.

De tempos em tempos somos brindados com novidades, como foi o caso do Puerto Rico com a seleção de papeis, que embora não tenha sido o primeiro, foi o que divulgou esse tipo de mecânica para o mundo, o Agricola, com o seu worker-placement, o Dominion e o deck-builing, e mais recentemente o Pandemic, explodindo jogos da linha Legacy.

Coincidência ou não, todos os casos citados foram sucessos tão grande que ficaram no topo do ranking do Board Game Geek, o maior portal de jogos de tabuleiro do mundo.

 O Senhor dos Aneis : O Confronto, já transforma um jogo
simples (o Combate de 1947) em algo mais estratégico. Foto BGG.

O grande lance, é que hoje, está praticamente impossível ser totalmente original nos jogos, de uns anos para cá, em cada grande evento são apresentados em média mais de 500 jogos, e cada vez mais os autores estão precisando inovar, seja visualmente com miniaturas mais lindas ou "traquitanas" que façam alguma coisa diferente.

Fato é que ao ler uma regra hoje em dia, na maioria dos casos aquela sensação de "déjà vu" fica cada vez mais evidente, e ainda assim, a cada novo jogo ainda podemos ser surpreendidos com mecânicas clássicas usadas de forma nova interessante.

Mas ainda temos espaços para surpresas,
como o Pandemic Legacy. Foto BGG.

3 comentários:

Léo disse...

Po, pera lá Cacá... eu sei que você não gosta do bendito, mas colocar o Agricola como quem trouxe o work-placement pra luz é feio... o Caylus (#46 do BGG, ainda a venda) eh de dois anos antes!

Carlos "Cacá" disse...

O Caylus pode ter sido o primeiro, mas quem difundiu foi o Agricola... Mesmo caso do Meuterer e do Puerto Rico... :)

Léo disse...

Concordamos em discordar.
O Caylus chegou a ser segundo no ranking do BGG (atras apenas do PR na epoca), e ganhou o Spiel de Jahres em 2006. Isso para mim eh um grande indicativo de popularidade.

Antes do Agricola, ainda vieram o Pillars (2006), o Manila (2005) e o Leonardo Da Vinci (2006). 2007 foi um ano em que varios jogos de worker placement foram publicados: AoE III, Tribune, Key Harvest, e o proprio Agricola, entre outros. Isso mostra para mim que a mecanica jah tinha sido popularizada antes do Agricola, e ele eh apenas o jogo de maior sucesso dentro do estilo (o que eh um puta merito por si soh).