sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Steam


Esse ano eu coloquei como meta jogar pelo menos uma vez cada um dos meus 10 jogos preferidos, um deles é o Steam e jogando ele percebi que ainda não tinha escrito uma resenha dele e vou aqui corrigir esse erro.

Steam foi lançado em 2009 e é uma reimplementação do Age of Steam do grande Martin Wallace (famoso aqui no Brasil pelo Brass), ele é um jogo onde construímos linhas ferroviárias para conseguir levar bens entre cidades e assim ganhar prestígio.

Inicialmente sorteamos os bens que cada cidade vai receber e bens que ficam de foram para entrarem durante o jogo, as cartas de ações dos jogadores é separada e um primeiro leilão é feito para ordem inicial da partida.

As sete ações do jogo tem sua importância variando
em momentos distintos do jogo.

O jogo é dividido em uma série de rodadas compostas por seis fases, sendo a primeira delas a escolha das ações pelos jogadores.

São 7 tipos de ações que o jogo oferece (no modo básico de partida) : para ficar em primeiro na rodada seguinte, ser o primeiro a mover os bens, ser o primeiro a construir trilhos, construir um trilho à mais que os outros, colocar novos bens na cidade, aumentar sua locomotiva e urbanizar uma cidade.

Todas são ações muito importantes durante o decorrer da partida, e conforme o jogo avança fica cada vez mais acirrada a disputa por ações específicas.

Depois na segunda fase do jogo, vamos construir as linhas férreas que são a forma de levar um bem de uma cidade para outra.

 Você precisa levar os bens de determinada cor para a cidade
certa (da mesma cor), por trechos de ferrovia.

Cada jogador pode construir até 3 tiles de ferrovia (com a ação do engenheiro, uma à mais), e você precisa pagar por cada saída que ela tiver no hexágono, então à princípio o custo base é de dois.

Vale aqui uma parada para falar sobre o dinheiro em Steam, o jogo é cruel, não tanto como seu antecessor, mas ainda assim conseguir dinheiro é uma batalha.

Você começa zerado, e conforme o jogo avança e você vai entregando bens começa a fazer sua máquina de recebimento funcionar, mas enquanto isso não acontece, você vai pedindo empréstimo e tendo que pagar juros a cada início de rodada.

Uma vez que todos constroem seus trilhos, começamos a fase de entrega de bens, aqui cada jogador vai levar um bem de uma cidade para outra ganhando pontos por cada trecho que passar, mas você pode escolher ao invés de ganhar pontos de vitória aumentar seu rendimento, e essa é uma decisão interessante do meio pro fim do jogo.

Conforme você aumenta seu nível de locomotiva
consegue ir mais longe na sua entrega.

Inicialmente só podemos usar um trecho de tiles de ferrovia para a entrega, mas conforme vamos fazendo upgrades de locomotiva isso vai melhorando, e fazê-los é imprescindível se você quiser ter algum sucesso no jogo.

As duas últimas são fases "burocráticas" de recebimento de grana ou pagamentos de dívidas, depois de arrumação da ordem da próxima rodada baseada na escolha dos tiles de ação.

O jogo se desenvolve dessa forma por uma quantidade de rodadas definida pela quantidade de jogadores, e no final quem tiver mais pontos de vitória é o vencedor.

Steam é um euro médio/pesado, cruel (mas nem tanto), mas que você precisa ficar medindo suas decisões o tempo todo, além de ficar sempre ligado pra onde o trem do amiguinho está indo e se você pode tirar proveito dos trechos dele de alguma forma, um jogo brilhante que está no meu TOP10 a muito tempo e é uma pena não ter chegado ainda ao Brasil.

https://www.acessoriosbg.com.br/

2 comentários:

Unknown disse...

Vc tem uma lista aqui ou na ludopedia do seu top 10?

Carlos "Cacá" disse...

#1: El Grande / #2: Agricola / #3: Twilight Imperium (Fourth Edition) / #4: Antiquity / #5: Caverna: The Cave Farmers / #6: Ora et Labora / #7: Dungeon Petz / #8: Macao / #9: Steam / #10: Mombasa