quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Tzolk'in : O Calendário Maia


Acompanhando o ano de tribos Maias, em Tzolk'in temos cinco engrenagens que interagem e representam locais de desenvolvimento dessa civilização tão rica e nelas vamos com nossos trabalhadores para conseguir recursos, favores dos deuses entre outras coisas para que uma das tribos saia vencedora.

O jogo começa com cada tribo tendo disponível 3 trabalhadores, e cada um dos jogadores escolhe dentre 4 fichas de setup inicial, 2 para receber os recursos iniciais e assim começamos o jogo.

Na partida os jogadores se alternam em turnos onde eles podem fazer três ações que são : colocar trabalhadores nas engrenagens, tirar os trabalhadores de lá e realizar a ação correspondente do espaço onde eles estão ou mendigar por milho.

 Uma visão geral das cinco engrenagens e
todas as suas ações possíveis.

Na ação de colocar os trabalhadores você pode colocar quantos quiser, mas funciona da seguinte forma, o primeiro trabalhador é colocado gratuitamente, pagando apenas pelo espaço onde ele deseja entra em uma das cinco engrenagens do jogo, já para colocar um segundo trabalhador você paga mais milhos, e assim sucessivamente, fazendo com que essa seja uma ação bastante custosa caso você queira potencializa-la.

As cinco engrenagens são responsáveis por coisas distintas, em Palenque você consegue pegar milho e madeira (recursos básicos), em Yaxchilan, consegue-se recursos mais valiosos, em Tikal conseguimos avançar tecnologicamente para aumentar o poder de outras ações, Uxmal é onde realizamos trocas e conseguimos novos trabalhadores e finalmente em Chichen Itza é onde vamos para realizar oferendas que nos darão pontos.

 O avanço nos monumentos te garante pontos
e bens ao final de cada Era.

O grande lance do Tzolk'in é que você não realiza as ações quando entra em determinada engrenagem, e sim quando realiza a ação de recolher os seus trabalhadores.

Sempre que a rodada chega ao jogador inicial, a engrenagem principal avança uma casa, e com isso todas as outras andam, além do efeito prático da coisa, confere um fator estético ao jogo que na época do seu lançamento (em 2012) chamou muita atenção e ainda hoje atrai os novos interessados pelo jogo.

Então o grande lance aqui é esse planejamento futuro de ações, as vezes vale pagar mais para colocar seu trabalhador numa posição que vai se atingida logo, ou então colocar gratuitamente lá no comecinho e esquecer da existência dele, até quando lhe for conveniente.

 Ao avançar tecnologicamente, algumas ações
nas engrenagens são melhoradas.

O jogo tem quatro momentos em que a roda maior chega e que são de extrema importância. São dois onde você recebe recursos e dois onde você pontua, mas em todos eles você precisa alimentar sua tribo, e como milho é um recurso escasso, a coisa pode ser bem pesada se você não se planejar.

Ao final da segunda rodada de pontuação o jogo acaba, além dos pontos recebidos normalmente pelo final da Era, você ainda recebe pontos por peças de monumentos compradas e após converter todos os seus recursos em milho, também recebe pontos por eles, e quem tiver mais pontos ganha.

Tzolk'in é um euro "raiz", com muito planejamento, aquela vontade de fazer várias coisas e não poder por falta de recurso ou de tempo, e aquela curva de aprendizado que todos os grandes jogos te trazem, foi uma excelente adição ao catálogo da Devir Brasil e é daqueles jogos que você precisa jogar.

https://goo.gl/SkPcg4

Um comentário:

Eduardo Gehrt disse...

Jogão, quero jogar com a expansão para ver qual é, bela resenha! Abraço!